sábado, junho 21

Okupa!

Aqui ao lado em Espanha auto-intitulam-se movimento okupa, a designação anglo-saxónica é squatting. O acto de ocupar um espaço ou propriedade sobre a qual não temos qualquer direito mas se encontra desocupado. A prática existe desde sempre mesmo no reino animal os exemplos já vêm de há milhares de anos, e a coisa sempre funcionou. Há países onde a tradição é muito forte, como na Alemanha, Holanda e Espanha, geralmente são associações ou movimentos que ocupam casas desocupadas para construir uma obra social. Inclusive há países onde a coisa está legalizada e é encorajada pela lei como na Holanda, onde é perfeitamente legal tomar posse de edifícios desocupados há mais de doze meses.

Andando pelo centro de Lisboa, podemos ver edifícios devolutos por todo o lado, portas e janelas emparedadas inclusive nas zonas mais ricas da cidade. Desperdício é a palavra que me ocorre em primeiro lugar, não sei se a causa é apenas especulação imobiliária, mas concerteza que tem qualquer coisa a ver com o assunto. Acho que precisamos de um movimento okupa português.

3 comentários:

Rato disse...

Nós já tivemos um movimento okupa português durante os anos '90, essencialmete constituido po anarquistas, punks, comunitas e hippies, e ainda continuam a existir pequenos focos deste movimento. É pena é que não haja mais pessoas dispostas a deixarem tudo a que pretence a este mundo capitalista, onde estamos inseridos e onde os valores de ordem moral sao cada vez mais devalorizados em virtude deste consumismo excessivo (é só olhar em volta! todos os dias somos bombardeados de publicidade! as grandes discussões nas casas de todo o mundo têm quase sempre como tema o dinheiro), para abrir os olhos e dar-mo-nos conta de que para viver na verdadeira concepção da palavra nao necessitamos de dinheiro ou de "subir na vida", muitas vezes às custas de outrém, mas sim de vivermos em comunidade, ajudando-nos mutuamente, em paz e amor.
É apenas a opinião de uma miuda de 14 anos que simplesmente está farta do mundo de falsas verdades aceites pela sociedade, das opiniões sensíveis e preconceitos comuns.

MentaLidadeS disse...

sem dúvida! Lisboa e Porto são os exemplos mais flagrantes por serem sitios por onde passa muita gente mas por todo esse Portugal se devia okupar....em Aveiro, por exemplo há uma quantidade enorme de antigos casarões e prédios abandonados há decadas... parte-me o coração ver construções de Arte Nova, com fachadas lindissimas, ao perfeito abandono, à mercê do vandalismo e de ocupações "obscuras" (cobrindo-se o chão num tapete de lixo e objectos usados para actividades que concerteza não dão muito boa imagem ao bairro...)
Não poderia o movimento okupa ser uma mais valia para todos? restauradas as casas, a imagem geral mudava logo, e utilizando-as para promoção de actividades culturais dava-se vida à cidade e algo que fazer aos jovens

oficinaactiva disse...

Somos um colectivo que, neste momento, está a realizar um manual do activista.é um formato que já existe noutros paídes há algum tempo mas que ainda não encontramos em portugal. um manual de consulta para qualquer um que queira intervir na sociedade.
estamos a tentar desenvolver uma parte sobre a ocupação. algum de vocês têm material que queira partilhar? por exemplo, recomendações de livros sobre a história okupa na alemanha...era excelente saber mais sobre o movimento okupa em portugal dos 90 de que X rato fala, conheces pessoas que possam falar mais sobre isso?...relatos pessoais vossos...

se não for por aqui podem contactar através de:
oficinaactiva@gmail.com

o site, apesar de estar desactualizado (estamos a construir um no wikipédia) é este:
oficinaactiva.weebly.com

qualquer contribuição é benvinda!